notícias

Theatro São Pedro faz a estreia nacional de Las Horas Vacías

07

agosto

A ópera contemporânea do compositor espanhol Ricardo Llorca terá récitas nos dia 8 e 10 de agosto

O Theatro São Pedro, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, traz novamente ao país uma ópera inédita e contemporânea, Las Horas Vacías do compositor espanhol Ricardo Llorca. Indicada aos prêmios Argosy Fundation e Met-Life/Meet the Composer, ambos nos Estados Unidos, a produção foi montada pela primeira vez há cinco anos em Benidorma, cidade natal de Llorca. Escolhida para representar o ano internacional das línguas, a ópera foi encenada no auditório da ONU em Nova Iorque, no Lincoln Center, em 2010, e, por fim, na Sala Filarmônica de São Petersburgo, na Rússia. Serão duas apresentações em São Paulo, nos dias 08/8, às 20h, e 10/8, às 17h. Os ingressos custam de R$20 a R$60. 

Baseada em fatos reais, Las Horas Vacías retrata a crescente sensação de vazio da sociedade atual por meio da solidão de uma mulher. A história é inspirada em um drama testemunhado por Llorca em 1993, quando ele vivia em Nova Iorque. Por anos, sempre às sextas-feiras, sua elegante vizinha manteve o mesmo ritual, que era ouvido pelos demais condôminos: ela cozinhava atum, preparava a mesa, discutia agressivamente com seu convidado e, por fim, acabava a noite fazendo amor. Assim foi até o dia em que alguém decidiu chamar a polícia. Descobriram, então, que ela não recebia convidados, que estava só em seus encontros imaginários. “Na ópera, porém, essa mulher é viciada em internet, contexto que escolhi para abordar a solidão nos dias de hoje”, explica Llorca. Ópera-monodrama para soprano, coro, piano e orquestra de câmara, faz referências à música espanhola renascentista. A direção cênica do espetáculo é de Joachim Schamberger, com regência de Alexis Soriano. No elenco, estão a solista Laura Rey (soprano) e a atriz Angelica de La Riva, que também protagonizou Las Horas Vacías no Lincoln Center. 

Para o compositor Ricardo Llorca, a apresentação é uma grande oportunidade de conquistar novos públicos. “Esta é uma obra acessível, com temática de fácil identificação e adaptável a diferentes palcos. Estou muito feliz de trazê-la ao Brasil, que tem um público com gosto musical apurado e conectado a tudo o que acontece lá fora”, afirma. 

O Theatro São Pedro é um equipamento da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, administrado pela Organização Social Instituto Pensarte. Mais informações no site www.theatrosaopedro.org.br. 

RICARDO LLORCA 
Um dos nomes mais promissores da nova geração de compositores hispânicos, Ricardo Llorca é compositor residente para a companhia de dança contemporânea Sensedance e alterna seu trabalho como professor e compositor nas escolas The Juilliard School e Queen Sofía Spanish Institute, ambas em Nova Iorque. 

Pela importância de seus trabalhos, Llorca foi premiado com a bolsa Richard Rogers Scholarship, em 1992, e premiado pelos Virgen de la Almudena, em 1999 e John Simon Guggenheim, em 2001, este, um dos maiores reconhecimentos do universo intelectual norte-americano. Em outubro deste ano, estreia no Auditório Nacional de Madri uma nova composição encomendada pela Orquestra Nacional da Espanha. 

ALEXIS SORIANO 
Um dos maiores regentes espanhóis de sua geração, Alexis Soriano participou de projetos de Valery Gergiev como regente em sua master class e no filme The Master and his pupil. Como pupilo de Ilya Musin, pelo Conservatório Rimsky Korsakov, em São Petersburgo, foi o principal regente da The Hermitage Orchestra durante 10 anos e, atualmente, é diretor artístico doFestival Spanish Evenings, também realizado na metrópole russa. Em 2012, tornou-se diretor artístico da New York Opera Society, companhia que dá suporte ao desenvolvimento de talentos ligados ao universo lírico e que é parceira da produção deLas Horas Vacías. 

Além do repertório lírico, o trabalho de Alexis Soriano é voltado à música contemporânea, principalmente espanhola. Soriano realizou releituras de importantes compositores e foi o responsável pela primeira gravação da The Opera de Jose Lidon, de 1792, Glaura y Cariolano. 

JOACHIM SCHAMBERGER 
Joachim Schamberger é internacionalmente reconhecido por seu trabalho como diretor de palco e designer de teatro virtual. Desde 2010, é artista residente na Indianapolis Opera, onde dirigiu ToscaAriadne auf Naxos e La Traviata. Também foi o responsável pela direção e desenho das produções The Flying DutchmanDas RheingoldThe Tragedy of Carmen, Fausto eAmahl And The Night Visitors. 

Joachim é professor convidado na Universidade de DePauw, onde foi produtor da Albert Herring e Die Fledermaus. Trabalhou com jovens artistas da Brooklyn College ConservatoryThe International Institute of Vocal Arts in ItalyThe VOICExperiencee na The Juilliard School. Como graduado na Musikhochschule, em Wurtzburgo, e pela Merola Opera Program, da San Francisco Opera, Schamberger estudou produção digital de filmes e animação 3D na The New York Film Academy. 

LAURA REY 
Residente na Bavarian Opera House, em Munique, Laura Rey começou a Temporada 2014 estrelando os papeis de Maria, na produção En La Historia de La Navidad, e Narradora, para La Pasión de los Tiempos, ambas para One Stage Theatre. 

Laura Rey é barachel em Música, com formação em performance vocal pelo Puerto Rico Conservatory of Music e mestrado em Performance de Ópera pelo The Curtis Institute of Music. Lecionou no Puerto Rico Conservatory of MusicUniversi ty of the Virgin IslandsSan Juan Children’s Choir e, atualmente, é docente na Rutgers University. Foi premiada pela American Society of ComposersAuthors and Publishers (ASCAP) como Melhor Compositora de Música Latina do Ano. 

ANGELICA DE LA RIVA 
Integrante do elenco da estreia mundial de Las Horas Vacías no Lincoln Center, em Nova Iorque, em 2010, Angelica de La Riva debutou no mesmo ano no prestigiado Carnegie Hall, onde passou a se apresentar com regularidade. Também em Nova Iorque, Angelica estreou The Rise and Fall of the First World de Michael Kowalski, no papel principal de Filomena; Poppea em L’Incoronazione di Poppea, A Condessa em Le Nozze di Figaro, no Brooklyn Center 
for the Performing Art; opereta de Tim Rescala e Maria Clara Machado, no Teatro Tablado do Rio de Janeiro; A Bela e a Fera, em São Paulo; entre outros. 

Sua excepcional interpretação de peças iberoamericanas resultou no convite para inaugurar a Sala de Concertos La Fresneda, em Astúrias, Espanha, acompanhada pela Orquestra de Câmara de Sierro, assim como Festival de Granada, na Espanha, com Teresa Berganza. Ainda inaugurou o Centro Cultural do Brasil em Nova Iorque, no qual interpretou compositores clássicos brasileiros. 

SERVIÇO 
Ópera-monodrama para soprano, atriz, piano, coro e orquestra de cordas com texto e música de Ricardo Llorca. ESTREIA NACIONAL 
Compositor e coordenador musical | Ricardo Llorca 
Regente | Alexis Soriano 
Diretor Cênico | Joachim Schamberger 
Solista | Laura Rey | soprano 
Atriz | Angelica de La Riva 

Quando 
08 de Agosto às 20h 
10 de Agosto às 17h 
Endereço: Rua Dr. Albuquerque Lins, 207 São Paulo – Metrô Marechal Deodoro 
Tel. 11 3667.0499 
636 lugares 
Duração: 1h10 
  
Preços 
Plateia R$ 60,00 
1º balcão R$ 30,00 
2º balcão R$ 20,00 
  
Descontos 
Estudantes, aposentados, pessoas acima dos 60 anos e professores da rede pública estadual, devidamente identificados, têm desconto de 50%. 
  
Como comprar 
Bilheteria do Theatro São Pedro 
Acesso pela Rua Barra Funda, 171 – São Paulo – Metrô Marechal Deodoro 
Terça a domingo, das 10h às 22h. 
Pelo Ingresso Rápido – T 11 4003.1212 / www.ingressorapido.com.br 
Não recomendado para menores de 08 anos. 

Mais informações à imprensa: 
Secretaria da Cultura 
Natália Inzinna – (11) 3339-8162 – ninzinna@sp.gov.br 
Juliana Petroni – (11) 3339-8070 – jpetroni@sp.gov.br 


envie seu comentário...

Opps! preencha corretamente os dados

enviar

peça seu som...

Opps! preencha corretamente os dados

enviar